Há pouco tempo, o governo brasileiro afirmou que é preciso resolver alguns déficits que existem na pesquisa científica no Brasil, que é preciso que se priorize a inovação. “Nós temos que dar importância à patente”.

Porém, o ponto a ser discutido vai além das patentes – é o quanto as universidades e empresas, estão dispostas em investir e se preparar para inovar. A gestão de competências e a cultura organizacional são onde residem os maiores bloqueios para a gestão da inovação. Atualmente, o incentivo à inovação precisa ser revisto pelas empresas, que necessitam compreender que o investimento trará um retorno financeiro permanente, e que promover a inovação construirá pontes entre sua empresa e seus colaboradores.

Colocando em prática um programa de incentivos a seus funcionários ou simplesmente mudando um pequeno processo no cotidiano de uma microempresa como a Courrieros, o fato é que a inovação traz benefícios para nações, indústrias, empresas, pessoas e para o conhecimento coletivo. Ela abrange clientes, fornecedores, novos mercados, novos canais, novos meios de fazer negócio, produtos e serviços. A inovação é a pedra angular pra se agregar e criar valor, e definitivamente, se diferenciar em um mercado altamente competitivo.

Guilherme Araki – Notify Technology