O Bike pelo Mundo de hoje vai trazer o relato incrível de um parceiro que morou na Índia e fez questão de compartilhar com a gente, do CourriBlog, um pouquinho dessa experiência. Obrigada Matheus Cardinali!

 

“Meu relato sobre a Índia será bem curto:

Meu nome é Matheus, sou de São Paulo e passei quatro meses na Índia.  Felizmente posso dizer que de um modo geral, fui surpreendido positivamente com o país.

A pobreza, injustiças sociais e sujeira eu já sabia que iria ver (e realmente está por toda parte), o que ninguém me contou foi que a relação com as pessoas me fariam sentir tão confortável e contente, apesar da  grande diferença cultural entre nós e eles. (ps: a cultura deles é impressionantemente rica!)

Morei em Mumbai, conheci Délhi, Agra, o estado do Punjab… Ou seja, dei uma boa andada, e o que mais me chamou a atenção foi a mobilidade urbana.

O trânsito é caótico e o que torna a coisa ainda mais complicada para pedalar é que a Índia segue o estilo britânico de dirigir (lado esquerdo). Outro fator que é bem típico de lá, e eu de fato não me acostumei todo esse tempo, é o quanto eles usam a buzina no trânsito. Os motoristas buzinam para todos e tudo.

Por ser um país densamente povoado, com ruas estreitas e milhões de pessoas em cada canto, a bicicleta costumava ser um meio de transporte super utilizado. Atualmente a bicicleta foi substituída por motos (ainda assim você ainda vê muita gente usando a magrela pra se locomover) e o principal meio de transporte urbano nada mais é que um híbrido de bicicleta com carro (juro que não tenho uma explicação melhor pro Auto Rickshaw).

Aaaah! Mais uma curiosidade: em cidades menores (e até em Nova Délhi) você consegue encontrar ciclistas carregando passageiros em uma espécie de charrete (são os Rickshaws)”.