Com certeza vocês já ouviram falar das competições de ciclismo Giro d’Italia, Tour de France e a Vuelta a España, não é? Pois bem, elas são as três grandes voltas ciclísticas mais importantes e clássicas da modalidade.

No post de hoje, vamos contar para vocês um pouquinho mais do Giro d’Italia. Nas semanas seguintes falaremos das competições na França e Espanha.

Giro d’Italia

O Giro d’Italia é uma corrida de longa distância para ciclistas profissionais. A corrida tem a duração de três semanas e é realizada na Itália durante o mês de maio, podendo avançar até o início de junho. O Giro foi inspirado no Tour de France.

A primeira edição do Giro ocorreu em 1909, mais precisamente no dia 13 de maio em Milão e contou com vitória do ciclista italiano Luigi Ganna. Eram apenas oito etapas, cobrindo uma distância total de 2.448 km. Dos 127 concorrentes, apenas 49 chegaram ao fim. A caravana era composta por oito automóveis: quatro para as equipes, dois para a organizaçao e os comissários, dois para os jornalistas. Antes da largada os corredores foram fotografados um a um para que nao ficasse nenhuma dúvida quanto as suas identidades.

Ciclistas importantes foram convidados para a primeira ediçao, como os franceses André Potier, apelidado de “Frou Frou”, vencedor do Tour de France de 1906, e Louis Trousselier, ganhador da prova francesa em 1905. Outro frances, Lucien Petit-Breton também largou, mas foi forçado a abandonar após uma queda durante a primeira etapa, Milao-Bolonha.

Desde 1909 a competição acontece todos os anos, tendo sido interrompida apenas nos períodos da primeira e segunda guerras mundiais, no mês de maio, por três semanas, num percurso mudado a cada ano através da península italiana e por vez em países limítrofes.

A corrida desenvolve-se em etapas por trechos de planície, favoráveis aos sprinters, e em etapas mais duras em trechos de montanha, que junto com as duas etapas cronometradas decidem a volta.

O Giro em 2017

O Giro d’Italia 2017, com largada marcada para o dia 6 de maio, vai começar sem um de seus principais favoritos, o italiano Fabio Aru, da Astana. Segundo uma nota divulgada pela equipe, o ciclista foi diagnosticado com bursite pre-patelar no joelho esquerdo, lesão que decorre de um tombo sofrido no dia 2 de abril quando o pneu de sua bike furou durante uma descida em Sierra Nevada.

Segundo o ciclista, sua perna está travada pela dor, impossibilitando que ele dobre o joelho. Aru ainda afirmou que está há 9 dias sem pedalar e que sente dor até para andar. Nos dias depois do acidente, o ciclista teria tentado treinar no rolo, mas mesmo isto foi impossível. Na segunda feira (10), o atleta teria visitado o médico para receber seu diagnóstico.

“Estou triste e desapontado com o que aconteceu”, disse Aru na nota. “Eu estava sonhando com o Giro largando em minha terra natal, a Sardenha, e estava me preparando para a competição por meses. Infelizmente este acidente aconteceu e não poderei largar por não ter condições físicas”, explicou o atleta.

Resultado de imagem para Fabio Aru ciclista