O Chile viveu, na realidade ainda vive, uma explosão no uso da bicicleta como meio de transporte. Na América Latina, a capital chilena só é superada, no uso desse modal, por Bogotá. Segundo dados do Ministério dos Transportes chileno, atualmente Santiago conta com mais de 230 km de ciclovías e as viagens de bicicleta representam 7% do total, com um milhão de viagens diárias.

Em 2016, a primera “Pesquisa Verde” realizada pela Intendencia de Santiago e Bike Santiago revelou que com a chegada do sistema de bicicletas públicas, 50% dos entrevistados deixaram de usar o transporte público, e 13% deles, o automóvel.

Mesmo que o uso da bike, nessa capital, tenha crescido substancialmente nos últimos tempos, a grande crítica da população se situa quanto à infraestrutura, como ciclovías e estacionamentos de bicicletas, que para os mesmos, não acompanhou proporcionalmente esse crescimento.

Contudo, Santiago sediou, em Março do ano passado, a quinta edição do Fórum Mundial da Bicicleta. O evento teve como tema principal o empoderamento do cidadão na missão de transformar as cidades. Organizações da sociedade civil e representantes de diversos países se dividiram entre workshops, mesas de debates e diversas atividades, com objetivo de compartilhar experiências sobre o papel da bicicleta como ferramenta de transformação e promoção de um estilo de vida mais saudável e sustentável. (Curiosidade: esse ano o Fórum será realizado na Cidade do México).

JCB