No post de hoje vamos falar sobre a última, mas com certeza não menos importante, das três grandes voltas ciclísticas, a Vuelta a España!

Para quem ainda não viu, já falamos sobre o Tour de France e o Giro D’Italia em post anteriores. Vale a pena conferir!!

A história da competição começa em abril de 1935. A primeira corrida contou com 50 ciclistas, 18 deles espanhóis. A distância de 3.425 km foi percorrida em 14 etapas, numa média superior a 240 km por etapa, o que gerou muitas críticas, já que as distâncias foram chamadas de “inumanas”.

Inspirado nas voltas de França e Itália, e no sucesso que deram aos jornais patrocinadores (L’Auto e La Gazzetta dello Sport respectivamente), Juan Pujol do diário Informaciones apoiou esta corrida para aumentar a circulação do seu jornal.

O primeiro vencedor foi o belga Deloor Gustav, que abriu 12 minutos para o segundo colocado, o espanhol Mariano Canardo. Deloor venceu novamente no ano seguinte. Em 1937, a Guerra Civil Espanhola adiou a teceira edição. Em 1943 e 1944, o evento também não foi realizado por causa dos conflitos da Segunda Guerra Mundial.

Atualmente, junto ao Tour de France e o Giro D’Itália, que já falamos em posts anteriores, a Vuelta integra o chamado Grand Tour e é uma das três competições de ciclismo mais importantes do mundo.

Com início em distintos locais em cada edição, a prova inclui um misto de etapas de contra-relógio, planas e de montanha, sendo o seu final tradicionalmente na capital espanhola, Madrid.

Curiosidades

O suíço Tony Rominger e o espanhol Roberto Heras detêm o recorde de três vitórias cada um. Rominger levou os títulos em 1992, 1993 e 1994. Heras venceu em 2000, 2003 e 2004. Em 2005, o ciclista também venceu a competição, mas perdeu o título por doping para Denis Menchov.

Já o ciclista que mais venceu etapas da Vuelta foi o espanhol Delio Rodríguez, com 39 vitórias. O suíço Alex Zülle, campeão em 1996 e 1997, foi o atleta que mais vezes vestiu a camisa de líder, 45 no total.

Vuelta 2017

O percurso da Vuelta a Espanha de 2017 contará com muitas novidades. A competição, de 19 de agosto a 10 de setembro, terá largada pela primeira vez na França. A Vuelta abre com uma crono por equipes em Nimes, de 13,8 quilômetros. No percurso estão nove chegadas ao alto, entre elas o temido Angliru, na 20ª e penúltima etapa, além da inédita Los Machucos, na 17ª etapa. Mas, no geral, há menos subidas e menos quilometragem.

“O traçado da Vuelta está com a nossa personalidade, há finais ao alto, menos rampas e etapas curtas de montanha, que podem ser relevantes. Além disso, diminuímos a quilometragem, 200 menos que o Tour e o Giro, o que significa menos uma etapa”, afirmou Javier Guillén, diretor da corrida.

Para o mesmo, a edição de 2017  pretende manter  “a emoção até o final”, com etapas decisivas na última semana. Além da crono em Logroño, o diretor destaca as etapas de Santo Toribio de Liébana e Gijón e Angliru antes do final em Madri.

imagem CORRETA vuelta a espana.png

 

 

 

JCB