“Não ser apenas as melhores empresas do mundo, mas melhores PARA o mundo!”

Essa frase é como um mantra do B-Corp, chamado Sistema B no Brasil. Mas afinal, o que é Sistema B?!

Vamos lá… O B-Corp surgiu em 2006, nos Estados Unidos, quando se iniciou o movimento das Benefits Corporations, resultado da união de três empreendedores, ex-funcionários de grandes empresas do mercado. Em comum, eles tinham o objetivo de rever o significado de sucesso no meio corporativo – ou seja, ir além do retorno econômico, do fluxo de caixa – e experiências que apontavam para uma lógica diferente da tradicional.

O Sistema B é um movimento global que pretende redefinir o conceito de sucesso nos negócios e identificar empresas que utilizam seu poder de mercado para solucionar algum tema social e ambiental. A iniciativa tem o objetivo de apoiar e certificar as empresas que criam produtos e serviços voltados para resolver problemas socioambientais. Este movimento não é guiado por nenhuma ideologia ou pessoa em particular, mas sim por milhares de pessoas que querem trabalhar por um mundo melhor e não apenas por um salário.

Para conseguir uma mudança sistêmica na economia, onde se conheça e se valore as Empresas B, é necessário gerar conexões críticas entre os principais atores, para a construção de Comunidades de Prática, que serão o motor da mudança para novas economias.  As Comunidades de Prática são grupos de pessoas com uma paixão comum, que interagem regularmente para melhorar suas práticas e articulam condições favoráveis ​​aos seus interesses, é um grupo com vida própria (organização, agenda e metas) e construirão uma visão conjunta da economia com finalidade social e ambiental que se quer compartilhar e os meios para alcançá-la.

Mas quais empresas formam o Sistema B?

As empresas que formam o sistema B se distinguem por:

  1. Resolver problemas sociais e ambientais a partir dos produtos e serviços que vendem, e também com suas práticas laborais, socioambientais, as comunidades, os fornecedores e os públicos de interesse.
  2. Para demonstrar isso passam por um rigoroso processo de certificação que examina todos os aspectos da empresa. Devem atender aos padrões de desempenho mínimos, além de assumir forte compromisso com a transparência ao relatar publicamente seu impacto socioambiental.
  3. Também fazem as mudanças legais para proteger sua missão ou finalidade comercial e, portanto, combinar seu interesse público com o privado.

É essencial dizer, que o lucro é importante e bem vindo, para toda empresa! No caso das Empresas B a diferença é que ele não é um fim em si mesmo, e que quando ele se multiplica ajuda a gerar cada vez mais impactos positivos para sociedade e meio ambiente.

Ser Empresa B significa demonstrar que é possível almejar ao mesmo tempo os impactos econômicos, sociais e ambientais (triplo impacto), com o compromisso de melhoria constante, legal e de longo prazo.

A Certificação

Para se certificarem, as Empresas B passam pela Avaliação de Impacto B que analisa o impacto integral da empresa em 5 áreas: Governança, Meio ambiente, Comunidade, Trabalhadores e Modelo de negócio de Impacto. Em uma pontuação de 0 a 200 pontos, ganha o selo quem atinge ao menos 80 pontos. Essa certificação vale por dois anos, e seu custo varia de acordo com o faturamento. Depois de receber o selo, a empresa assina um termo de compromisso e altera seu estatuto para reforçar o compromisso em considerar o impacto socioambiental de suas operações antes de tomar decisões estratégicas. Quem descumpre esse termo perde a certificação, pois não pode renová-la ao final dos dois anos de validade.

Sistema B no Brasil

Atualmente existem 2.240 empresas certificadas B ao redor do mundo. Na américa latina são 307 e no Brasil o número é 75.

Nós da Courrieros, nos orgulhamos em falar que fazemos parte desse movimento. Ser uma empresa B, vai muito além de uma certificação, mas sim de estar inserido em um ecossitesma onde se partilham ideais comuns sempre buscando impactar positivamente o mundo, interagindo constantemente e trocando conhecimento, experiências e muitas parcerias, como a que acabamos de estabelecer com mais uma empresa pertencente ao Sistema B, a Insecta Shoes, que agora vai de bike com a Courrieros!