Imagine reunir em só projeto uma “tiny house” (pequena casa), impressão 3D e autossuficiência energética. É isso que o engenheiro ucraniano Max Gerbut está propondo com seu modelo residencial revolucionário: a PassivDom.

A casa é parcialmente automatizada com a ajuda de um robô que realiza impressão 3D. Ele é capaz de imprimir paredes, telhado e piso em somente oito horas. Construída com 20 centímetros de espessura e feitas de fibras de carbono, poliuretano, resinas, fibras de basalto e fibra de vidro. Já a instalação de portas, janelas, sistemas elétricos e encanamento fica por conta do trabalho humano. As casas são sempre pequenas -, ainda assim não deixa de ser um grande feito.

Outro ponto interessante que torna a casa tão autônoma são dois sistema de água. Um deles coleta e filtra água por meio da umidade do ar e o outro é um sistema de esgoto independente da rede pública.

O fato da técnica ser bastante inovadora torna quase tudo personalizável. Há valores diversos, de acordo com o tamanho e tecnologias instaladas, – o modelo mais simples custa cerca de 200 mil reais. Já há diversos pedidos nos Estados Unidos, onde a empresa também possui escritório, e as primeiras 100 residências serão entregues em janeiro de 2018.

 

Retirado do Portal Ciclovivo