O gargalo da infraestrutura no brasil cobra um preço alto: as empresas gastam 8,7% de suas receitas líquidas com transporte e estoque dos produtos.

O gargalo da infraestrutura no brasil cobra um preço alto: as empresas gastam 8,7% de suas receitas líquidas com transporte e estoque dos produtos. Para o País, o custo logístico é de 11,5% ao ano, segundo a consultoria Ilos.
Diante de uma demanda crescente e dos novos padrões de produção, a logística se destaca como prioridade para assegurar a distribuição de produtos nas grandes cidades e centros urbanos, especialmente para ajudar as empresas a lidarem com os desafios enfrentados nesse processo. Dessa forma a logística urbana ganha ainda mais importância no Brasil, um país que segue como problemático quando o assunto é mobilidade e por vários motivos.

O problema da mobilidade urbana é tão grave que, em 2011, o Ministério das Cidades anunciou o Programa de Mobilidade Urbana, com o objetivo de promover melhorias nos grandes centros e possibilitando avanços em relação ao transporte coletivo, à redução na emissão de poluentes, acidentes e dos enormes congestionamentos. Contudo, passados 3 anos do lançamento do programa, pouco foi feito.

Segundo dados do CSCMP – Council of Supply Chain Management Professionals, a mobilidade urbana responde, em média, por 28% do custo total de transporte e representa cerca de 30% do tráfego das grandes cidades. Soma-se a isso o fato de responder por cerca de 35% das emissões de gases de efeito estufa e de aproximadamente 20% dos acidentes nos centros urbanos. Isso mostra a importância de ações que garantam a eficiência da mobilidade urbana.

Naturalmente, os novos hábitos de consumo, com a possibilidade de compras online, o maior acesso a crédito e, consequentemente, maior volume de compras realizadas e demandando rápidas e fracionadas entregas, atuam diretamente para um fluxo maior de veículos nas grandes cidades. Isso, aliando aos já comuns e recorrentes problemas estruturais e logísticos do trânsito diário, aumentam os congestionamentos e os riscos de acidentes.

As entregas urbanas, também conhecidas como logística urbana é uma solução que tem ganhado espaço recentemente quando o assunto é transporte de cargas. Grandes cidades estão lidando com problema de alto fluxo de veículos nas ruas e, muitas delas já estão adotando restrições de tráfego. Desta forma veículos de cargas não podem circular em determinadas regiões e/ou horários, devido ao seu peso e tamanho.

Além da restrição de tráfego, a demanda por entregas cada vez mais rápidas, estimuladas principalmente pelo consumidor online, também tem contribuído para que as entregas urbanas tornem-se a solução para estes problemas logísticos.

As transportadoras geralmente utilizam caminhões pesados e médios, os quais na sua maioria enfrentam as restrições e consomem mais tempo de transporte. O principal motivo é que necessitam de maior quantidade de carga para atingir uma taxa de ocupação mínima estabelecida pelo transportador.

Para lidar com esses desafios e realizar projetos de mobilidade urbana que sejam, de fato, efetivos, é preciso realizar estudos que considerem diversos fatores, como questões geográficas e até mesmo culturais, considerando o impacto de obras e mudanças para a região, pois o planejamento precisa ser bem realizado antes de serem implementadas as mudanças necessárias em uma localidade.

Fontes:

https://istoe.com.br/437845_O+BRASIL+QUE+CONSTROI+LOGISTICA+E+MOBILIDADE+URBANA/

https://www.ecommercebrasil.com.br/artigos/logistica-urbana-estrategias-para-agilizar-suas-entregas/

https://www.bloglogistica.com.br/mercado/o-desafio-da-logistica-urbana/